11 coisas que você precisa saber sobre amigdalite

Como você já deve saber, amigdalite é a infecção das amígdalas, gânglios linfáticos que estão localizados na lateral da garganta, bem na parte de trás da boca. A principal função das amígdalas é manter proteger o seu corpo de vírus e germes, através de poros que retêm esses seres, impedindo que eles atinjam outras áreas do seu corpo gerando infecções.

Quem está com amigdalite, precisa entender melhor o que está acontecendo com o seu corpo, quais são os sintomas, como tratar e até mesmo como prevenir.

Com informação você conseguirá saber mais sobre este problema que atinge adultos e crianças e que causa tanto desconforto, por isso separamos 11 coisas que você precisa saber sobre amigdalite.

  1. Há Quatro Tipos de Amigdalite

 Isso mesmo, a doença tem quatro variações e é importante que você entenda que nem sempre o tratamento será o mesmo.

  • Amigdalite viral – É a forma mais comum da doença, causada por vírus como da parotidite, ou Citomegalovírus, ou Adenovírus ou Epstein-barr;
  • Amigdalite bacteriana – Causada pelas bactérias Pneumococos ou Streptococos;
  • Amigdalite crônica ou recorrente – São os casos onde a doença se estende por mais de três meses;
  • Amigdalite aguda – São os casos de infecção que duram até três meses.

  1. Principais Causas da Doença

A amigdalite pode se desenvolver por contaminação de vírus ou bactéria. Mas outas doenças como a faringite também podem acometer as amígdalas, causando inflamação e dor.

O contágio com vírus e bactérias é possível quando o sistema imunológico da pessoa está baixo, deixando o organismo mais propício ao desenvolvimento de doenças.

  1. Principais Sintomas da Amigdalite

Além da dor de garganta, a amigdalite tem outros sintomas que são:

  • Dificuldade de engolir;
  • Febre;
  • Calafrios;
  • Mau hálito;
  • Dor de cabeça;
  • Amígdalas inchadas;
  • Amígdalas vermelhas;
  • Aparecimento de nódulos linfáticos no pescoço;
  • Tosse Seca;
  • Garganta irritada;
  • Mal-estar;
  • Perda do apetite.
  1. Fatores de Risco

Talvez você não saiba, mas há alguns grupos de pessoas mais suscetíveis a pegar amigdalite e são as crianças e pré-adolescentes os que mais sofrem com a doença. A explicação pode estar ligada à formação das glândulas e, por conta disto, os poros estão mais abertos e acabam tendo mais contato com vírus e bactérias.

Adultos dificilmente pegam amigdalite, mas pode acontecer da doença se desenvolver pelo contato com outras pessoas doenças.

  1. Amigdalite é Contagiosa

A inflamação das amígdalas é uma doença contagiosa por ser transmitida por vírus. A transmissão acontece pelo contato direto entre as pessoas, especialmente com gotículas de saliva. Por este motivo é tão comum que crianças em escolas ou creches adoeçam na mesma época, pois o contato entre elas é maior.

Bebês e idosos, por conta da baixa imunidade, acabam se expondo a esse contágio e, por isso, desenvolvem a doença mais facilmente.

  1. É Possível Evitar o Contágio

Mesmo sendo uma doença contagiosa, a inflamação nas amígdalas pode ser evitada através de atitudes simples que devem fazer parte do seu dia a dia.

  • Lavar as mãos frequentemente;
  • Não compartilhar talheres, pratos e copos;
  • Se estiver doente tossir usando lenço ou colocar o antebraço para impedir que o vírus atinja outras pessoas.

  1. Amigdalite é Transmissível Pelo Beijo

Jovens e adultos precisam se preocupar com a transmissão pelo beijo, a amigdalite, assim como a faringite e laringite são algumas das várias doenças que podem ser transmitidas pelo beijo. Há uma lista de enfermidades que são transmitidas assim, até porque a saliva pode levar vírus e bactérias de um organismo para o outro.

  1. Amigdalite é Perigosa

Muitas vezes a doença é tratada como uma doença comum e as pessoas não levam o tratamento a sério, deixando de tomar os remédios assim que os sintomas desaparecem. Todavia, é preciso tomar cuidado, pois a amigdalite é uma enfermidade perigosa e que, quando não tratada corretamente, pode ocasionar a febre reumática.

Para quem não sabe, a febre reumática é um tipo de reumatismo infeccioso que se desenvolve após uma infecção provocada pela bactéria do estreptococo, uma das causadoras da amigdalite. Essa doença pode afetar as articulações, a pele e em casos mais graves pode atacar o coração e cérebro.

  1. Como Tratar a Amigdalite

Assim que surgirem os sintomas um médico deve ser consultado. Na consulta, fale com o doutor tudo que você está sentindo, relatando para ele quando a dor de garganta começou, se teve febre, se está com dificuldade de se alimentar, se tentou aliviar a dor com algum medicamento e quais são os sintomas que você vem sentindo.

Após seu relato, o médico deve fazer alguns exames para ver se de fato as amigdalas estão inflamadas, olhando a garganta do paciente e notando se a região está vermelha ou com pus. Outros exames podem ser solicitados.

Se a doença for diagnosticada, é necessário iniciar o tratamento com anti-inflamatórios ou antibióticos, além de analgésicos que irão impedir o desenvolvimento da dor. Alguns remédios indicados: Amoxilina, Benzetacil, Cataflan, Flanax, Dipirona, Nimesulida, Paracetamol, Ibruprofeno, entre outros.

Não há tratamento caseiro que resolva, uma vez que falamos de uma doença infeciosa causada por vírus ou bactérias. Quem estiver com muita dor na garganta e esteja fora do horário do remédio analgésico, pode fazer gargarejo com água morna e sal para limpar a região e assim reduzir a dor.

  1. Inflamação nas Amigdalas Pode Precisar de Cirurgia

A cirurgia de remoção das amígdalas é indicada para os casos onde o paciente tem a infecção por muitas vezes, podendo deformar as amígdalas, resultando em problemas como a dificuldade respirar.

Casos agudos e crônicos também podem exigir a retirada das glândulas, pois o inchaço e desinchaço provoca alterações na forma das amígdalas.

  1. Quanto Tempo Demora para Curar Amigdalite

Outra informação que você precisa saber sobre amigdalite é o tempo que demora para ficar curado de uma vez por todas desse mal que gera tanto incomodo e que pode te impedir de realizar atividades corriqueiras, como ir trabalhar ou ir para a escola.

Não existe um prazo correto, pois cada organismo irá reagir de um forma, todavia, os médicos garantem que em três dias já é possível reduzir os sintomas da inflamação na garganta, como a dor e a febre.

Mas a melhora dos sintomas não é sinal de que você está curado, portanto, continue o tratamento durante os dias que o médico recomendou e retorne em consulta para garantir que de fato a inflamação cessou.

Recomendados para você:



Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *