Pigarro, tosse seca e dor de garganta são sintomas de refluxo

Pigarro, o famoso hum-hum, dor de garganta e tosse seca podem ser sintomas de uma doença gastroesofágica chamada refluxo e ela pode estar em um estágio bem avançado. O refluxo é um processo causado pelo excesso de acidez no estômago que faz com que o músculo localizado entre o esôfago e o estômago não feche, permitindo que o suco gástrico retorne para o esôfago.

Nos casos mais graves de refluxo, o líquido ácido também pode atingir a laringe e a faringe, prejudicando a região da garganta, nesses casos a doença é chamada de refluxo laringofaríngeo e merece atenção redobrada, pois podem ferir as cordas vocais, causando rouquidão e perda da voz.

Outras doenças ainda podem surgir desse processo de refluxo como: mau hálito, problemas dentários, gengivites, rinites e sinusites crônicas.

Como saber se você tem refluxo

A doença pode se manifestar apresentando diversos sintomas, entre eles a queimação no estômago que é a principal queixa de quem procura o médico achando que está com problemas como a gastrite.

Além da queimação, também pode apresentar dores no estômago, má digestão e azia. Todos eles indicam o excesso de acidez que entre em contato com regiões que não foram preparadas para ter contato com o suco gástrico, gerando então a inflamação crônica.

Para identificar a doença é preciso fazer um exame de endoscopia, assim é possível visualizar a válvula que impede o suco gástrico de sair do estômago, além de verificar como estão os órgãos que tiveram contato com este ácido tão corrosivo.

Principais causas do refluxo

Há uma série de problemas que podem resultar no surgimento do refluxo, o principal deles é o excesso de acidez causado pela má alimentação.  O consumo em excesso de frituras, carnes vermelhas, salsicha, linguiça, bacon, café, chocolate, excesso de gordura, bebidas alcoólicas, refrigerante, pimenta, farinha branca, macarrão e pão estimulam a produção de ácido no estômago.

Fora isso, há outros problemas que podem gerar o refluxo, como alterações hormonais. Há estudos que ligam o refluxo com a produção de estrogênio, hormônio que está ligando ao regulamento do sistema reprodutivo feminino.

Algumas evidências sugerem que o estrogênio e outros hormônios são responsáveis pelo refluxo, por conseguir alterar o esfíncter esofágico inferior e fazê-lo relaxar, isso é, abrindo a válvula que separa o líquido do estômago com o esôfago.

A obesidade é outro problema de saúde que está ligado ao refluxo, atingindo de diversas formas o seu estômago, inclusive aumentando o estrogênio no seu corpo. O excesso de gordura no corpo, a falta de uma alimentação saudável e o sedentarismo são fatores que contribuem para que o refluxo aconteça.

Há diversos estudos que mostram que em casos de obesidade não é só a má alimentação que interfere, mas o índice de massa corpórea e também o aumento da cintura abdominal (ou visceral) que estão ligados ao surgimento da doença.

A hérnia de hiato é outra causa ligada ao problema de refluxo, trata-se de uma doença onde o estômago é projetado para dentro do tórax através de uma abertura no diafragma. Muitos estudos dizem que a pressão sobre o estômago contribui para a formação da hérnia de hiato e com uma parte do órgão projetado, o suco gástrico acaba vazando para o esôfago, causando o refluxo.

Como uma situação está ligada na outra, assim como as alterações de estrogênio, a hérnia de hiato também está relacionada à obesidade e por isso é muito comum que os obesos sofram com refluxo.

Tratamento para o refluxo

Através de exames, o médico poderá entender a causa e passar um tratamento mais eficaz para que você consiga vencer a doença.

Os remédios indicados para o refluxo que atinge tanto o esôfago, quanto a laringe e a faringe são medicamentos antiácidos que neutralizam a acidez do estômago e acabam com a queimação.

Também é comum que o médico receite medicamentos procinéticos, responsáveis por acelerarem o trânsito intestinal, isto é, impedindo que o alimento fique no estômago por muito tempo.

Outro medicamento indicado é protetor gástrico, remédios que formam uma camada protetora no esôfago, impedindo que o órgão seja machucado pelo ácido.

Para os casos de refluxo laringofarígeo, que é a doença que afeta a garganta, é preciso indicar os anti-ácidos, bloqueadores da bomba de prótons, medicamentos pró-=cinéticos e ainda indicar uma mudança significativa na alimentação que é uma parte importantíssima no tratamento.

Os hábitos alimentares de um paciente com refluxo precisam ser modificados, só assim ele poderá acabar com o excesso de acidez no estômago, vencer a obesidade e controlar os sintomas que estão gerando problemas no esôfago ou na garganta.

Há algumas dicas para você começar a mudar agora mesmo seus hábitos alimentares:

  • Fazer pequenas refeições ao longo do dia;
  • Comer de 3 em 3 horas;
  • Mastigar bem;
  • Dormir só depois de 2 ou 3 horas depois da última refeição;
  • Não fazer exercícios após a alimentação;
  • Não beber líquidos durante as refeições;
  • Evitar alimentos gordurosos;
  • Evitar alimentos com cafeína;
  • Evitar alimentos com farinha branca;
  • Aumentar o consumo de frutas e legumes;
  • Aumentar o consumo de produtos integrais;
  • Consumir carne magra;
  • Consumir leite e derivados de leite desnatados;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Não tomar refrigerantes;
  • Parar de fumar;
  • Usar roupas mais leves e folgadas;
  • Perder peso.

Tratamento caseiro para tratar o refluxo

Seguir o tratamento médico e a dieta indicada é importantíssimo para você se curar da doença e ter mais saúde, mas há também algumas dicas de tratamentos caseiros que são indicados para te ajudar a aliviar os sintomas.

Logicamente que você não pode suspender o uso dos medicamentos, apenas complementar o tratamento com essas dicas de produtos naturais que podem ser consumidos por que tem refluxo e está com a doença prejudicando a garganta, causando grandes incômodos.

Uma das dicas é beber meio copo de água com meio limão todos os dias de jejum e antes das refeições. Ao contrário do que muitos acreditam, o limão – mesmo sendo uma fruta ácida – ele não irá acidificar o estômago, pelo contrário, ele irá diminuir a acidez.

Outra alternativa é tomar de 2 a 3 colheres de vinagre de maçã ao longo do dia, preferencialmente junto às refeições principais. O vinagre de maçã também ajuda a diminuir a acidez do estômago.

O chá de camomila também é um ótimo remédio caseiro para o tratamento de refluxo, pois é um calmante natural que irá ajudar o estômago a relaxar, produzindo menos suco gástrico.

Por fim, indicamos o chá de gengibre que irá melhorar a digestão, agindo no seu organismo para que o alimento fique pouco tempo parado no estômago, evitando que o refluxo tenha também restos de alimentos.

Recomendados para você:



Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *